Notas de Paraty V: A crueza de Bruce Gilden

Ele talvez seja o fotógrafo que mais a sério levou a máxima de Robert Capa: “se sua foto não ficou boa, é porque você não chegou perto o suficiente.” E Bruce Gilden chega, o mais perto possível. Se ao falar é brincalhão e faz piadas, suas imagens são cruas: uma ácida crítica à sociedade!

Ele também tem um filme – que infelizmente não deu para ver no Paraty em Foco – mas é possível de vê-lo no Yutube, onde ele anda pelas ruas de Nova York fotografando as pessoas que não entendem muito bem o que aquele cara com uma cãmara e um flash na mão está fazendo. Mistura de estilos  de Lisette Model, Diane Arbus e Weegee, Bruce Gilden faz o que achar necessário para obter sua fotografia!

Anúncios

2 comentários em “Notas de Paraty V: A crueza de Bruce Gilden

  1. Cara Simonetta,

    O vídeo no Youtube é sensacional e mostra (muito bem) o trabalho de Gilden. É punk!

    Lembrei, também, de Walker Evans. Ele tem uma material (feito em 1929) pelas ruas de Nova York que é bem assim. Retratos roubados rapidamente. Não é tão brusco como Gilden.

    E tem outro ensaio de Evans pelas rua de Detroit que ele fez em 1946 (eu acho). São anônimos. Esse material lembra mais Gilden.

    Até.

    Alexandre Belém.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s