Derrubada por um vírus!

Sim, como um computador. Entrou o virus da gripe e desde quinta-feira estou mal! Febre alta, dores no corpo, etc. Então nada melhor do que aproveitar e colocar alguns assuntos em dia. Um deles foi assistir ao DVD da Annie Leibowitz: “A vida através das Lentes”. Confesso que não é de arrancar suspiros, ou talvez eu não estivesse no clima. Mas é uma bela reportagem sobre sua forma de trabalhar, compreender a fotografia e como sua parceria com a revista Rolling Stones a ajudou a crescer profissionalmente, visto que o diretor sempre lhe deu liberdade total de ação. É também interessante ouvir os fotografados e perceber como ele se sentiram ao trabalhar com ela. Tudo isso recheado com depoimentos familiares, enfim… De qualquer fomar vale a pena!

Também li a nova revista “Santa ART Magazine”, publicada pela Cerebelo Artes, no Rio de Janeiro. O tamanho da revista é meio incômodo, não dá para ler na  cama. No editorial deste primeiro número, Sergio Mauricio, escreve que “Santa chega ao mundo com a intenção de propagar imagens significantes. Sem compromisso fechados, nem com o canônico, nem com as iconoclastias celebradas a cada momento”. Vamos ver! Todo editorial da primeira edição é uma carta de intenções que, obviamente, se alteram com o tempo. Não é uma revista de fotografia, embora neste primeiro número ela mande, apresentando um volumoso ensaio com as fotorafias de Marcos Prado realizado no Tibet entre 1986-1997 (me lembro que escrevi matéria sobre isso em 1996 na Paparazzi), acompanhado de um texto do historiador e pesquisador de fotografia Pedro Karp Vasquez que fala sobre “As Descobertas do Tibet”. Tem também entrevista com Affonso Beato, diretor de fotografia e as brincadeiras que Paulinho Moska está fazendo com sua digital. A revista é trimestral. Tomara que tenha vida mais que longa, visto o deserto que temos nesta área no Brasil! É para brindar sua chegada! (leia o que foi publicado no Pictura Pixel, do amigo Claudio Versiani)

Também comecei a ler o “O livro das emoções”, de João Almino, sobre um fotógrafo cego (mais um) que relata sua vida a partir de um diário fotográfico. Este ainda não acabei. Comentarei mais tarde!

 

Anúncios

4 comentários em “Derrubada por um vírus!

  1. Oi Simonetta.
    Também vi o documentário sobre a Annie Laibowitz e gostei muito. Infelizmente não pude ver até o final, mas mesmo assim achei ótimo. Foi super interessante ver a estrutura que está por tras das fotos da Vanity Fair. É incrível a produção de locação, figurino e iluminação.
    Foi legal também saber como ela começou. E como sua linguagem mudou nestes anos todos. A dúvida que fica é se ela mudou porque ela gosta mais desse seu novo jeito de fotografar ou se foi uma imposição do mercado.
    Beijo e melhoras,
    Dani

  2. Pra gripe, bastas comer galinha caipira a cabidela com boas taças de vinho tinto seco, água, sucos e mais sucos e dar boas risadas com o telefone fora do gancho.

    Aprecio a coragem da senhora Laibowitz. Joga bem com o mercado também. Percebi que ela virou moda no mundo editorial de sua época – atual também -, mas nada tira o mérito de suas pesquisas e produção a base de muita grana. Coisa que o mercado brasileiro tão cedo apreciará. Sem falar nos diretores de arte e tratadores querendo dividir o mérito com o trabalho do fotógrafo. Não posso me esquecer dos faniquitos do diretor de arte. Arrrgh! Talvez uma oficina psicológica ajude minha cabeça a encarar.

    O trabalho de prado no Tibet é um grande feito na fotografia mundial. Aplausos para Estamira também. Belo documentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s