Começamos mal!

9_14_imagem_nairobi.jpgConfesso que há muito tempo uma foto não me chocava tanto. Não que não tenhamos nossas próprias pilhas de mortos ou chacinas por aqui. Infelizmente também as temos, e muitas. Mesmo assim a foto de Sayyd Azim da agência AP publicada no jornal Estado de S. Paulo de ontem, me deixou muito mal. Pilhas de crianças amontoadas depois de terem sido assassinados no Quênia. digitalizar0001.jpg

Imediatamente me veio à mente uma foto feita por Margaret Bourke-White em 1945, no campo de concentração de Buchenwald. Muitos adoram dizer que uma fotografia pode mudar o mundo, que vale mais de mil palavras e blá, blá, blá. Mas se fosse assim, acho que não veríamos mais imagens deste tipo nos jornais de hoje. Que uma imagem pode nos levar à reflexão não tenho dúvidas, quanto ao resto…. Pena!

Anúncios

10 comentários em “Começamos mal!

  1. Com certeza uma imagem como a foto de Sayyd Azim da agência AP pode mudar o mundo e nos levar a reflexão.
    Mas o problema é saber se as “pessoas” estão interessadas em ver esse tipo de notícia esse tipo de imagem.
    Acredito que não,eles não querem saber se o mundo está em guerra aqui ou lá (a menos quando uma pessoas famosa está envolvida em tal) se o nosso governo mente aumentando imposto,será que eles sabem o que é IOF!?
    acredito que não.Eles querem e ver fotos e notícias de “celebridades” em fofocas,ensaios de carnaval,participantes de BBB8 e por ai vai.
    Acredito que tudo que esta ai acontecendo no mundo seja a causa desse interesse por coisas que não acrescenta em nada as pessoas!
    Infelizmente esse éo nosso MUNDO!

  2. Complicado, não?
    Professora, lembro que em sua aula tratamos da questão do sensacionalismo na imagem. Há, hoje, muitos discursos de que as imagens buscam vender mais seus respectivos veículos (e nessa era de agências, a si próprias).
    No entanto, um fotojornalista que não se sente implicado ao deparar-se com uma cena dessas não poderia ser humano.
    Se tem que mostrar? Eu acho que tem! Tomar providências e evitar que isso aconteça, é com todos nós!
    Uma fotografia talvez não mude o mundo, mas talvez suscite as discussões que devem fazê-lo. Antes disso, porém, temos que olhar para o nosso próprio quintal e discutir com nós mesmos: estamos prontos para enxergar a vida como é para então querermos torná-la melhor?
    Abraços e espero ter contato em breve!

  3. tirou todas as palavras da minha boca!
    fiquei estarrecida com essa imagem, fiquei mal, até enjoada…
    e concordo com o que vc disse, que a imagem pode nos levar a reflexão, mas acho que infelizmente pára por aí… não se tem mais tempo para o resto, para mudar o mundo…
    eu não sei se essa foto pode mudar, espero q sim, p mim foi um soco no estômago e fico me questionando da utilidade dela, achei mto sesacionalista e fiquei realmente triste, c tudo… mas até aí também me encaixo no quadro de pessoas que só refletiu e não fez nada….
    bjos

  4. “Hotel Ruanda” – estava passando na TV por assinatura há alguns dias… Especial atenção para o momento de retirada dos agentes da ONU da região de conflito…
    O que acontece no quintal do vizinho não me diz respeito?
    Hoje, a foto no jornal já é outra… E para onde nossa reflexão de ontem nos levou? Será que fui fazer alguma coisa que estivesse ao meu alcance para ajudar o meu vizinho?
    O gerente do hotel não salvou o mundo, mas não abandonou o vizinho…

    Renata

  5. Já vi muita maldade pelos jornais, revista e net. Mas, o que me assusta mesmo, é que nesta guerra, são irmãos contra irmãos.
    Mas começo a achar que o planeta está anestesiado. Melhor: impotente. Isso! Olhamos a foto, nos horrorizamos e ficamos aqui, sem poder fazer nada. Indignados.
    As vezes me pergunto, por que nossos colegas arriscam suas vidas para mostrar algo que não irá ser revertido. Já imaginou se o click tivesse o poder de despertar essas crianças para a vida. Voltar no tempo. Bem, no tempo, só voltamos quando revemos a foto. E a vida? Essa se foi…
    O album hitórico da morte está cheio desses horrores que insiste em nos causar pesadelos a cada segundo de nossa vida, que anda no fio da navalha do cinismo e da intolerância.
    Li que uma bomba made in USA, fura um abrigo iraquiano, diz, “olá, cheguei!”, tirando todo o oxigênio do local e depois
    e depois diz: “boa noite!”.
    Mas ainda aposto no fotógrafo que fez a foto. Parabéns a ele que tem se esforçado em mostrar a verdadeira cara do planeta terra. Viva a fotografia!

  6. Prezada Colega,

    Partilho com você o pensamento de que uma imagem não pode mudar o mundo, a reflexão como dito anteriormente, só nos deixa mais inerte, não levando as pessoas a atuarem. Pois, muitos as consideram filosoficas, viajantes e outras coisas mais.
    Em outubro do ano passado (2007), João Kulcsár fez um bate papo na Caixa Cultural em Brasília – DF, onde ele que era o curador da Mostra dos Fotógrafos Norte Americanos da FSA, apresentou várias imagens da década de 40, narrou que muitas imagens ajudaram a mudar leis americanas, cito uma : Proibição do Trabalho Infantil em fábricas e lavouras. Certo momento fiz a reflexão, e perguntei – “Por que nos dias de hoje uma imagem não está tendo a mesma força que as de antigamente?” acrecentei ” hoje criamos imagens a todo o instante, mais e mais pessoas podem está perto do acontecimento, a velocidade é maior na divulgação para o resto do mundo, qual o resultado disso?
    É triste, se as imagens, fatos e conselhos estivessem resolvendo algo, hoje não estariamos repetindo erros cometidos em histórias rescentes. De nada andiantou mostrar o mundo as atrocidades contra a humanidade cometidas na Era Hitler, e guerra do vietnã, e sem falar agora no Quênia.
    E as Imagens do Sebastião Salgado, muitas foram feitas na década de 70 e 80 na África, mostrando para todos um lado bonito do que é muito feio, irmãos e seres humanos, que até hoje estão do mesmo jeito, completamente abandonados, e entregues a própria sorte e alguns organismos internacionais levam uma ajuda para diminuir a culpa dos que hoje não sabem onde colocar o dinheiro ganho, mercado capitalista e desviar o foco da sociedade em geral, das empresas que usam o planeta em beneficio de alguns poucos.
    Não só as imagens vão mudar o mundo, pois nem com a dor e a perda está mudando. Este ser humano que hoje reina absoluto, tem que aprender a viver melhor, pois se não serão os próximos a não existirem nem em imagens.

    Abraços,

    Alessandro souza

  7. Meus caros,
    É com muito pesar que vejo estas imagens e comprovo que a cada ano temos a chance de ser e fazer diferente e não damos um passo que seja para este fim.
    Não cobramos das autoridades, não buscamos a Deus, não amamos o proximo, não freiamos nosso eu e pior de tudo… Não acreditamos que poderá mudar !
    Nossa falta de vontade em sermos seres melhores é inacreditável.

    Sinto muito,

    Luiz Henrique

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s